Destaques

SINFONIA DA ALVORADA

By 03/09/2019 novembro 7th, 2019 No Comments

O Canto da Madrugada
O Quinteto Alado do Pantanal
A Sinfonia do Entardecer

O Pantanal acorda cedo. Acorda alegre, antes do sol nascer.
Logo de madrugada,
as grandes aves iniciam seu canto matinal,
com um vigor incontido.
Sua voz sonora, nem sempre musical, é soltada aos quatro ventos,
por todos os cantos do Pantanal, estendendo-se pelo Cerrado.

A Tachã e Seriema iniciam o espetáculo; acordam o Pantanal.
Logo são seguidas pela Aracuã, pela Curicaca e pelo Carão,
formando o Quinteto Alado da Alvorada.

Uma a uma, ecoando em todo o Pantanal,
logo se junta ao Quinteto toda a passarada canora,
de grande, médio e pequeno porte.
Um encanto esplêndido e vigoroso, colossal…
São muitos milhões de aves, cantando alto, ao mesmo tempo,
num coro admirável, descomunal.
Uns cantos são doces, maviosos… outros são vigorosos, estridentes,
mas todos admiráveis e solidários…

A Sinfonia da Alvorada segue, vibrante e sonora,
até o sol se levantar, com seus raios possantes,
que se espargem por entre as nuvens, num imenso esplendor.
Formam uma Sinfonia imensa, do tamanho do Pantanal.
Lembra um pouco o canto intenso e contínuo das Cigarras,
anunciando a chegada do Verão, por todo o país,
anunciando o fim do ano.,

A Sinfonia da Alvorada do Pantanal ecoa, forte, da colina ao vale e dos rios aos arvoredos, das campinas às montanhas…

O Canto da Madrugada repete-se ao anoitecer,
com a mesma força, vigor e encantamento…
Agora é a Sinfonia Alada do Entardecer.
A passarada canta a alegria de viver.
Antes de a noite chegar, todos elevam a Deus a sua prece,
para o dia agradecer.
Celebra a vida, enquanto o sol se põe no horizonte,
em novo e brilhante esplendor.

Leave a Reply